Um outro olhar de mundo

Abro aqui um novo espaço para discussões tratando dos assuntos de nosso quotidiano, sem compromisso com o viés de ideologias políticas e nem com interesses fisiológicos, seja de caráter político, seja de caráter comercial.

Meu objetivo com este espaço é informar, sem cobrar nada por isso e sem buscar patrocínio para publiposts ou algo que o valha, dado que não tenho objetivo de tirar qualquer tipo de vantagem com as postagens aqui colocadas.

Também não é meu objetivo ficar espalhando para as pessoas em geral quanto a existência de tal espaço, pois ele é voltado mais para anotações de caráter pessoal, ainda que se trate de assuntos pertinentes do nosso dia a dia.

Não se trata de um espaço para fazer apologia de bandeiras políticas como o caso de vários think tanks pretensamente alternativos, até porque a ideia aqui não é influenciar ninguém a abraçar uma causa política.

Pelo contrário, este é um espaço onde o objetivo principal é o de desmistificar e de desconstruir os mitos que permeiam o nosso meio social, trazendo novos olhares e novas luzes em meio a esse tempo tenebroso que estamos sob o domínio de redes pretensamente sociais, dominadas por influencers ditando moda e opinião, que em seu afã de tomar para si um pretenso protagonismo no campo político, acabam por levar as pessoas que estão ao nosso redor a alienação em favor de causas sectárias que no fim mais prejudicam do que auxiliam a nossa vida social.

O espaço aqui não tratará diretamente de questões pessoais, tentando manter certo distanciamento do interlocutor aqui presente em relação a narrativa aqui apresentada, pois o objetivo aqui não é o de autopromoção as expensas dos textos aqui apresentados.

Não tenho pretensões políticas e não é meu objetivo entrar nesse campo tumultuado no qual a alienação, o personalismo político, o fisiologismo e o clientelismo dão as caras, até porque o assédio presente em tal meio é impertinente para mim a essa altura da vida.

Para mim, também não importa a fama, pois por mais que ela permita que eu tenha alguns luxos e prazeres satisfeitos, isso com certeza trará um assédio com o qual não tenho a devida habilidade para lidar.

Também não é o objetivo aqui ficar no ataque a pessoas, pois o foco é uma discussão no campo das ideias, da história e da política, apresentando um contraponto a posicionamentos massificados de viés ideológico e a pós-verdade presente em tais discursos enviesados politicamente, ainda que eventualmente cite pessoas aqui caso considere isso necessário para colocar meu contraponto.

É hora de dar um basta a tanta desinformação e a tantas inverdades espalhadas impunemente com objetivos mesquinhos de alienação e manipulação política da população.

Não cabe a mim me calar em meio a isso, até porque se calar a essa altura é consentir com tal status quo deprimente e alienante, onde alguns poucos querem arrogar para si a posição de um pretenso protagonismo, tomando para si o espaço da discussão das questões pertinentes a nossa sociedade e esvaziando qualquer pretensão democrática que porventura possa existir em nosso mundo, na condição de pretensos iluminados, mas que só servem para levar a nós todos a tempos de trevas.

Também não é de meu interesse aqui fazer discussões no campo da crença e da religião, pois aqui é um campo da razão e o direito de alguém acreditar ou não em algo nesse campo é um direito pessoal, sendo que não é a minha pretensão fazer disso mais um campo de batalha.

Quero seguir minha vida em paz, mas estou preparado para a batalha caso ela se faça necessária, sendo que nela não entregarei os pontos facilmente, sendo que espero que não levem a mal e para o lado pessoal o que aqui for publicado, dado que não estou levando nada aqui para esse lado.

Desde já, agradeço a todos aqueles que tiverem paciência para ler o aqui exposto, pois expor o que tenho pra expor aqui é um trabalho muito mais difícil do que aparenta, sendo um exercício diário me expressar e lidar com as contrariedades alheias.

A quem chegou a este fim aqui, deixo o meu sincero agradecimento pelo empenho e pela paciência.

Por Max

Estudante de Engenharia Civil, nascido em 1982. Autista e interessado em assuntos que dizem respeito a política cotidiana. Uma pessoa em busca de soluções, até porque problemas já temos aos montes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *